Como Profissionalizar a Gestão de sua Marcenaria

APRENDA COMO ORGANIZAR SUA MARCENARIA

Segundo uma visão administrativa altamente condensada e sob um ponto de vista analogicamente  figurado, o empreendedor pode ser entendido como uma moeda, onde encontramos duas faces distintas, a cara (O EXECUTOR) e a coroa (O ADMINISTRADOR). Aceitando-se este proposto “alter-ego”  concebido de  maneira bastante simplista, um bom negócio, na grande maioria dos casos nasce conforme o ditado popular com a CARA E A CORAGEM. Portanto, é provado e sabe-se historicamente que muitos empresários começam mesmo é colocando a mão na massa, são natos executores empreendedores, temos portanto neste momento a famosa moeda de uma única face.

Obviamente que isto não é suficiente para aqueles que desejam obter sucesso em um mercado cada vez mais competitivo, obrigatoriamente exige-se um segundo momento cujo desafio é capacidade de gestão deste negócio, a OUTRA FACE desta mesma moeda precisa aparecer e brilhar.

Conforme a empresa evolui percebemos que seu gerenciamento exige novas habilidades administrativas por parte do empreendedor. Para alçar vôos mais altos torna-se obrigatória a experiência em gestão, o domínio administrativo do negócio. Este aspecto fundamental costuma classificar e dividir os negócios que prosperam daquele que simplesmente existem.

Neste momento decisivo, o empresário assume seu lado COROA da moeda, a capacidade de administrar de uma maneira profissional sua marcenaria, já encontrei casos intuitivos, mas são uma completa exceção. Observem que o lado CARA do empreendedor não deixou de ser praticado, simplesmente e provavelmente passou para as mãos de um novo ator dentro da marcenaria, um novo executor que assume esta FACE, liberando espaço para que o negócio possa crescer. Não por acaso aqui COROA significa EXPERIÊNCIA.

Manter a questão da execução como atividade do administrador costuma ser o grande erro das marcenarias que não conseguem crescer. A visão estratégica costuma ser prejudicada e limitada para aqueles que insistem em continuar se ocupando das tarefas cotidianas e operacionais de uma marcenaria, eles não conseguem identificar o grave erro que comentem neste momento.

Para você que não abre mão do prazer da execução cuidado, precisa decidir se quer um hobby ou uma empresa. Sua praia é a terapia ou o resultado financeiro? Se for a terapia, vá para a marcenaria e pratique seu hobby em um horário fora do turno, livre de compromissos, deixe sua empresa crescer…

Mas para você que entendeu e superou esta primeira fase decisiva, imagino que já tenha encontrado seu braço direito na questão das responsabilidades operacionais. Então é chegada a hora de alçar vôos mais altos, formatando o modelo de administração que estarei sugerindo nos próximos passos à seguir:

RUMO À MARCENARIA ROLO COMPRESSOR

O primeiro passo é conhecer como sua marcenaria funciona sob o ponto de vista administrativo. Aqui posso ajudá-lo apresentando o mais simples modelo gerencial capaz de funcionar na gestão deste seu negócio. Vamos dividir sua marcenaria em blocos administrativamente estratégicos em termos de gestão, pois eles serão capazes de gerar alguns indicadores fundamentais para a sua visibilidade administrativa e tomada de decisão. São eles: DIVULGAÇÃO, VENDA, COMPRA, PRODUÇÃO E MONTAGEM.

Não se iluda, não despreze nenhum destes e à partir de hoje, saiba administrá-los de maneira individual porém interconectada. Segue a explanação do modelo sugerido, aprenda como organizar sua marcenaria sob o ponto de vista gerencial:

DIVULGAÇÃO: A propaganda é a alma do negócio, quem não é visto não é lembrado, você tem uma única chance de causar uma primeira boa impressão… Enfim, os ditados são muitos, mas fato é, ainda mais nos dias de hoje onde a informação é online, marketing é fundamental. Ninguém melhor que o dono pra fazer esta parte, pois respira os valores da empresa e sabe mais que ninguém qual o DNA do negócio. Meu conselho, assuma esta parte do negócio. Aprenda a cativar, aprimore o que divulga, transforme sua marcenaria naquilo que deseja que ela seja. Os sonhos são seus! A divulgação é o primeiro elo desta poderosa corrente.

VENDA: Costumeiramente vejo a questão de confundir-se venda com divulgação. São universos distintos, visto que no primeiro deles tratamos de um modelo tanto que abstrato de percepção de valor. A venda em si possui outras questões bastante objetivas, a questão da persuasão, o fechamento de um bom negócio, o atendimento, o relacionamento, o preço de fechamento e seus desdobramentos. Você é tecnicamente persuasivo ou um mero alto-falante mecanicamente construído para para ecoar um discurso? A venda possui uma questão interessante, o prazer do fechamento. Se você olha apenas a questão financeira nunca será um bom vendedor. A venda bem fechada deixa ambos os lados com uma sensação de um negócio bem feito, este é o sentimento que precisa ser buscado a cada nova negociação, por isso ela (A VENDA)  é tão diferente da DIVULGAÇÃO onde temos um conceito mais abstrato e subliminar.

COMPRA: Para o marceneiro que trabalha sob pedidos, a grande maioria dos casos, a compra é um fator decisivo na capacidade de se gerar lucro. Comprar mal pode comprometer todo o trabalho executado até então. Não detalharemos hoje como deve ser gerida a compra, simplesmente destacamos que ela deve ser gerida de maneira categórica. A pesquisa de novos fornecedores ou novas alternativas técnicas são capaz de mover a empresa em direção à novas oportunidades talvez até inusitadas. Conheça quem são os fornecedores, observe as diferenças de preço e qualidade. Entenda o que cabe ou não em seu negócio. Nunca nivele por baixo seu cliente, preço é parte da decisão de compra, porém existem outros fatores tão importantes quanto o preço, vide por exemplo o prazo de entrega. Defina políticas de compra compatíveis com sua capacidade de gestão de estoque. Não compre o que não tem previsão de uso a curto ou médio prazo.

PRODUÇÃO: Quem tudo quer nada faz. Aqui muito cuidado. Costumo ver marceneiros que nos momentos de desespero, aqueles onde simplesmente não existem pedidos, aceitam fabricar aquilo para o qual não estão preparados. O resultado costuma ser na maioria das vezes trágico. Porém, em casos especiais são os momentos disruptivos onde a empresa encontra e ocupa um novo nicho de mercado. Portanto trata-se de uma decisão estratégica que uma vez tomada exige responsabilidades. Não faça no chão-de-fábrica nada que não seja capaz de gerenciar. Cuidado com o fracionamento dos pedidos quanto à entrega, costumam ocupar espaço produtivo da marcenaria e prejudicar a produção. Como efeito colateral ainda elevam o custo da entrega. Pratique o 5s e o kaizen, melhore um pouquinho mais à cada dia, aperfeiçoe… Otimize as atividades repetitivas, esteja tecnologicamente e tecnicamente atualizado.

MONTAGEM: Um dos fatores decisivos no tocante à produtividade. Sua equipe saiu para montar? Quem vai ficar produzindo? Acredito que aqui grande parte dos empresários percam o foco na correria dos pedidos atrasados e acabem  passando os pés pelas mãos, trazendo momentos de ruptura produtiva e consequentes aumento do custo operacional, com as indas e vindas desnecessárias no cliente. Tenho aqui alguns pequenos segredos que pratico em minhas consultorias e que fazem toda a diferença para o negócio fluir de uma maneira mais produtiva no final das contas.

Finalizando este pequeno artigo, diante de tantos anos acumulando experiência dentro do setor moveleiro, posso afirmar que não conheço um modelo administrativo mais básico e simplista do que este o qual acabo de apresentar. Espero ter contribuído hoje para que você consiga alavancar sua marcenaria e transformá-la em um poderoso rolo compressor diante da concorrência estabelecida. Em um mundo de iguais, cada detalhe pode fazer toda a diferença, atenção especial ao projeto. O SUCESSO enconde-se nos pequenos detalhes. O jogo precisa ser jogado…

Sinta-se á vontade para expressar seu ponto de vista

Deixe seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Register New Account
Reset Password