Sistema MES: A bola da vez na Indústria de Móveis Brasileira?

Sistema MES: O que ele pode fazer por sua indústria?

Complementando a trilogia do monitoramento online da produção falaremos agora sobre o Sistema MES (Manufacturing Execution System ou Sistema de Execução da Manufatura). Tentarei pontuar os fundamentos históricos da indústria mundial e seu respectivo paralelo com o segmento moveleiro. Torna-se necessário explicar o desconhecido pois parte da indústria moveleira, (sua grande maioria) desconhece o que vem a ser o OEE e o Sistema MES.

A história normalmente registra apenas os vencedores. Sabemos que o segmento moveleiro é costumeiramente um dos últimos a aderir à qualquer tipo de “modismo”, visto complementarmente que a palavra investimento sempre relevada no meio, anda agora ainda mais em baixa. Agir de maneira diferente, desde que racional, costuma funcionar e destacar uma organização frente às demais, até que a diferenciação se torne regra.

Isto acaba recebendo outro nome, MELHORES PRÁTICAS. Mas o espírito da coisa agora neste post é provar que o que muitos chamam de modismo tem um outro nome para mim, evolução, redução de custos e consequentemente SOBREVIVÊNCIA. Somente as empresam que implementam as MELHORES PRÁTICAS atingem um novo patamar de liderança.

Dentro desta minha abordagem falarei sobre o processo evolutivo usando três siglas, guarde bem: CAD, ERP e MES. Talvez desta maneira o empresário entenda o risco que corre atualmente quando não é capaz de distinguir a diferença entre MODISMO e EVOLUÇÃO. Um segundo aspecto é a questão da sobrevivência, pois neste momento fazemos bem mais do que acreditávamos ser necessário para seguir em frente alguns anos atrás.

A tecnologia CAD foi  idealizada na década de 50. Porém somente na década de 70 cruzou os muros dos laboratórios em direção à indústria de ponta. Utilizando hardwares específicos e linguagem Fortran, era caríssimo, coisa da NASA mesmo. Raras eram as indústrias da época com recursos para implantar um sistema CAD. Hoje o CAD possibilita o CAM que alimenta robôs e otimiza processos de toda uma cadeia de engenharia.

Sendo muito objetivo e sincero, cansei de ver empresário dizer que a prancheta resolvia. Que este modismo era “frescura de engenheiro”. Hoje com a engenharia simultânea, com a renderização de produtos virtuais, com os e-commerces, qual a indústria moveleira de MÉDIO PORTE vive sem um sistema CAD? Ah…então era frescura, né? Quem bom que os conceitos foram revistos…

Infelizmente a indústria moveleira do Brasil adotou o CAD com pasmem, UMA DÉCADA de atraso comparativo com a indústria metal mecânica. Vamos em frente com o segundo capítulo desta novela que começa agora a ficar interessante. Calma que tem mais!

Seguindo em nosso paralelo rumo ao ERP para quem ainda não sabe, ele teve sua origem no ano de 1990 através do Gartner Group (Empresa de consultoria de Stanford, USA). Na verdade o ERP  nasceu da fusão de alguns conceitos. Falamos dos antigos MRP I e II somados a sistemas contábeis, comerciais e administrativos pré-existentes. O ERP possibilitou a integração total das informações necessárias ao negócio. E mais, O ERP utiliza hoje em seu módulo de engenharia as informações geradas pelo CAD, bacana né?

A indústria moveleira do Brasil que não aprendeu a lição da década de 90 com o CAD, novamente repetiu o erro ao não entender  o “modismo” do ERP durante os anos 2.000. Atualmente algumas empresas seguidoras encontram-se migrando de seus sistemas do tipo “colcha de retalhos”, cheios de adaptações grosseiras para, com mais de uma década de atraso, adotar as boas práticas dos bons ERPs  maduros de mercado.

Enfim, este processo que teve início nos anos 2.000, somente por volta de 2.010 tomou corpo na indústria moveleira, para não fugir á regra dos 10 anos de atraso em relação ao próprio Brasil, que acumula outros 10 em relação aos líderes mundiais que começaram na década de 90.

Se antes tínhamos gerentes de fábrica que desconheciam o CAD e também o ERP, chegamos aos dias atuais onde a grande maioria dos gerentes industriais e de produção da indústria moveleira DESCONHECE O COMPLETAMENTE o OEE e o SISTEMA MES. Então o que percebemos é que o empresário do setor moveleiro perpetua com isso o comportamento de SEGUIDOR e não de LÍDER no que diz respeito às BOAS PRÁTICAS da indústria.

Agindo sob o manto do silêncio, algumas indústrias de ponta do setor já implantaram ou estão neste momento implementando o OEE ou o MES, dependendo da aderência de processo de seu caso particular. Elas serão as líderes mais uma vez, assim como fizeram com o CAD e com o ERP, estão assegurando a dianteira com uma sensível redução de custos e melhorias de gestão na frente de seus concorrentes, garantindo seu mercado neste momento tão delicado, oferecendo preços competitivos ao cliente e simultaneamente MANTENDO A MARGEM DE LUCRO ou até mesmo ampliando em alguns casos. Isto não é correr riscos ou ter recursos para investir, isto é ter visão e enxergar algo antes que seja óbvio, como foi com o CAD e o ERP.

Assim como implantar o CAD hoje é simples e dispõe de funcionários relativamente baratos, nós consultores sabemos que precisamos estar alguns passos na frente porque temos a missão de trazer o futuro para o presente. Fizemos isto no CAD, fizemos no ERP e fazemos agora no OEE…Depois a história se encarrega de escrever os fatos e os vencedores, mas agora, em especial neste momento restritivo é hora de trabalhar pesado.

Em 2.020 se Deus me permitir, estarei trabalhando em algo novo enquanto as empresas SEGUIDORAS estarão descobrindo e implantando o OEE ou o Sistema MES, assim como ocorreu com o CAD e com o ERP. Modismo é o que passa, evolução é o que depois se estabelece como REGRA DE EXISTÊNCIA.

Para aqueles que desejam um pouco mais deste assunto, deixo o link abaixo onde desenvolvi o mesmo tema porém de uma maneira mais detalhada e com registros cronológicos, falando tanto sobre o OEE como o Sistema MES.

OEE – Gerenciamento Online da Produção na Indústria de Móveis

1 Comentário
  1. […] em alguns artigos  a questão do Sistema OEE e sua urgência. O mundo vem mudando em uma velocidade espantosa e será IRREVERSIVELMENTE ONLINE […]

Deixe um comentário

Consultoria para Indústrias Moveleiras